Quadrigêmeos recebem alta após 72 dias na UTI neonatal: “Sonho”

Compartilhar

Após 72 dias internadas na unidade de terapia intensiva neonatal (Utin) do Hospital Santa Helena, na Asa Norte, os quadrigêmeos Lucca, Samuel, Theo e Laura receberam alta. Os bebês precisaram de assistência especial para desenvolverem o pulmões, pois nasceram com 29 semanas de gestação.

A mãe dos quadrigêmeos, Rayane Gebrim, 30 anos, contou que a rotina no hospital estava muito difícil. A pequena Laura foi a que ficou em estado mais grave. Ela esteve intubada três vezes, teve três infecções bacterianas, precisou de transfusão sanguínea e recebeu o diagnóstico de imunodeficiência.

“A rotina na UTI era muito complicada. Todo dia, recebíamos quatro diagnósticos diferentes. Nunca era totalmente feliz, sempre estava com o coração apertado, porque, às vezes, três bebês estavam bem, mas outro estava na pior fase. Estava sempre dividida entre alegria e medo”, lembrou Rayane.

Confira as fotos:

Sonho de ser mãe
Rayane e João Nogueira enfrentaram problemas de fertilidade, fizeram diversos tratamentos e, em abril de 2021, tentaram a fertilização in vitro. O casal só não esperava que os dois embriões se dividissem e que a família, até então formada por duas pessoas, triplicasse em poucos meses.

“Resolvemos colocar dois embriões para aumentar as possiblidades de o tratamento funcionar. Não imaginávamos que os dois embriões se dividiriam e formariam quatro bebês. Fiquei com medo no início. É inexplicável e maravilhoso. Deus mandou quatro vezes mais do que pedimos”, destacou Rayane.

Tentativas
Em 2019, Rayane decidiu parar de tentar engravidar. Nesse período, ela e o marido pensavam em adoção. “É muito frustrante todo mês tentar, todo mês fazer um teste e toda vez ser resultado negativo. Pensamos em adoção, mas acabamos desistindo por ser muito burocrático”, relatou a mamãe dos quadrigêmeos.

A dona de casa e o empresário tentaram ser pais pelo método de coito programado por três vezes, sem sucesso. Em 2019, a mulher decidiu começar a fertilização in vitro, mas o primeiro feto não vingou.

Para voltar às tentativas por esse método, a família vendeu um carro. Rayane e o marido optaram pela fertilização com dois embriões, para que pelo menos um se devolvesse. Agora, o casal espera que 2022 seja um ano de muitas vitórias e alegrias ao lado dos herdeiros.

Confira o vídeo:

Fonte: Metrópoles

Ultimas notícias