Menina tem perna amputada após acidente com carro alegórico

Compartilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

A menina, Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, foi atropelada nessa quarta (20) por um carro alegórico na saída do Sambódromo, na rua Frei Caneca, no Centro do Rio de Janeiro.

Segundo testemunhas, a mãe e a garota estavam numa praça no Estácio, perto da Sapucaí, lanchando. A menina se afastou, junto com dois amigos, para olhar os carros alegóricos que estavam passando.

Além de ser atropelada, Raquel foi prensada contra um poste e teve as duas pernas dilaceradas. Ela foi internada em estado grave com traumatismo no tórax e ferimentos graves. O local fica a 200 metros do portão da Marquês de Sapucaí. A mãe, que está grávida, desmaiou no local após receber a informação.

Atualização

Por volta das 09:30 dessa quinta (21), a garota saiu do centro cirúrgico do Hospital Souza Aguiar, no Centro da cidade. O estado de saúde de Raquel é considerado gravíssimo, porém estável. Ela teve uma parada cardíaca e fratura no tórax. Segundo uma tia, não há risco de a menina perder a outra perna. No início da manhã, os médicos consideraram haver essa possibilidade.

Em nota, a escola de samba Em cima da hora, disse que estava “apurando com a Liga o que aconteceu”. “No momento, não iremos dar nenhuma declaração”, disse a assessoria de imprensa.

Nota oficial da Lierj

“As ligas das escolas de samba do Rio de Janeiro estão abaladas e se solidarizam com a família de Raquel Antunes. A jovem menor subiu no carro alegórico fora do sambódromo, na Rua Frei Caneca, no Estácio após deixar a área de dispersão. Prontamente, em menos de dois minutos, ela foi socorrida e levada ao Hospital Sousa Aguiar, onde foi submetida a cirurgias. Equipes das Ligas e da Escola acompanham o caso na unidade hospitalar ao lado da família desde o primeiro instante e também colaboram com as autoridades. Nesse momento, é preciso esperar a apuração da perícia e autoridades para novos esclarecimentos”.

Investigação

A perícia da Polícia Civil durou cerca de duas horas. Duas testemunhas e dois motoristas do guincho que levava o carro alegórico foram ouvidos pelos policiais. Câmeras de segurança da rua foram solicitadas pelos investigadores.

Situação do desfile

O acidente e a perícia atrasaram por mais de uma hora os desfiles da Série Ouro na Sapucaí, entre a segunda (Acadêmicos do Cubango) e a terceira (Unidos da Ponte) escolas.

Integrantes da Unidos da Ponte chegaram a deitar no asfalto da concentração, na Avenida Presidente Vargas.

Ultimas notícias