“Tem gente que quer que eu morra e fica me enchendo o saco para eu tomar vacina”, disse Bolsonaro

Compartilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro (PL), de 67 anos, voltou a criticar, nesta quinta (31), a imunização e os comentários que ouve para se vacinar contra a Covid-19. “Eu tenho que estar no meio do povo. Inclusive, [Marcelo] Queiroga [ministro da Saúde]. O problema é meu, a vida é minha. ‘Olha, não tomou vacina.’ Pô, tem gente que quer que eu morra e fica me enchendo o saco para eu tomar vacina. Deixa eu morrer”, afirmou.

A declaração foi feita no evento que marcou a saída de nove ministros do governo, que deixam o cargo com vistas às eleições de outubro deste ano, e a posse dos novos titulares.

Diversos ministros, como o da Saúde, Marcelo Queiroga, já se manifestaram publicamente a favor de que Bolsonaro se vacine contra a Covid-19. “O senhor [Bolsonaro] está bem, mas precisa se vacinar”, disse o titular, em live junto com o presidente realizada no fim do ano passado.

Na cerimônia, em tom crítico e com o uso de palavrões, Bolsonaro exaltou obras e políticos da época da ditadura militar (1964-1985) no Brasil, data que marca 58 anos, saiu em defesa do deputado federal Daniel Silveira (União Brasil-RJ) e criticou mais uma vez ministros do Supremo Tribunal Federal.

Fonte: R7.com

Ultimas notícias