Professores decretam fim da greve que já acontecia há quase duas semanas

Compartilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Os professores da rede municipal de Salvador decidiram finalizar a greve iniciada há quase duas semanas, após aceitarem aumento salarial proposto pela prefeitura. A decisão foi tomada em assembleia realizada na manhã desta terça (31), na sede do Ginásio de Esportes dos Bancários e as aulas serão retomadas na quarta (1).

Assembleia realizada em Salvador nesta terça Foto/Reprodução: APLB

Os trabalhadores pediam aumento de 33,24%, além de correções no auxílio-alimentação, avanço de níveis no plano de carreira, alteração na jornada de trabalho e convocação de novos professores concursados. Foi concedido um reajuste de 11,37%, sendo um linear de 6% e mais duas progressões, a serem concedidas em junho e em agosto. Além disso, a categoria acatou um aumento de 10% no auxílio alimentação – que é válida para todos os servidores municipais – e a garantia da mudança de nível para todos os professores que estão com processos em andamento.

Dentre as pautas exigidas pelos trabalhadores, houve também acordo para a redução da jornada de trabalho para professores e coordenadores pedagógicos, além da retirada das faltas durante o período da greve.

Na sexta-feira (27), a Justiça havia determinado que a categoria encerrasse a greve e os professores retornassem imediatamente aos trabalhos. No entanto, a paralisação foi mantida e houve uma assembleia no mesmo dia, para definir os rumos da mobilização.

De acordo com a prefeitura, a decisão da Justiça avaliou que a greve era abusiva e tinha indícios de ilegalidade, por não informar, por exemplo, o percentual de adesão ao movimento.

Manifestação

Na quinta (26), um dia antes da ordem judicial, os professores protestaram em frente à sede da Secretaria Municipal da Educação (SMED). Na manifestação, eles reclamaram da falta de acordo em relação às reivindicações da categoria.

Professores protestando em frente a Secretaria de Educação em Salvador Fonte/Reprodução APLB

Na ocasião, o secretário da Educação de Salvador, Marcelo Oliveira, disse que os professores da rede municipal já recebem salários acima do piso nacional. Já a APLB apresentou uma contraproposta com o índice de reajuste de 23% mais duas referências.

Segundo o secretário, a proposta da prefeitura, com reajuste de 6% e duas progressões de nível, foi um acordo construído ao longo destas negociações. As progressões são, na prática, promoções de forma incondicional dos professores sem avaliações de desempenho. Conforme o gestor, somando os benefícios, os educadores teriam reajuste final de 11,37%.

Fonte: G1

Ultimas notícias