Jaguaripe: Influenciadoras irão aguardar processo em liberdade

Compartilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Influenciadoras presas em Jaguaripe, no Baixo Sul Baiano, na pousada Paraiso Perdido, não possuem antecedentes criminais e vão aguardar o andamento das investigações em liberdade.

Segundo o delegado, não há evidências de que a cocaína encontrada na caminhonete seja delas e nem que elas tenham vínculo com os crimes dos homens que as acompanhavam, e que terminaram mortos no confronto com a polícia.

Os corpos de Agnaldo Leite da Silva Neto, de 29 anos, conhecido como Neto Talisca, e Felipe Augusto Machado, 28, conhecido como Batoré, estão no Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Itaparica e devem ser liberados também na quarta. A droga apreendida vai ser encaminhada para perícia e depois será incinerada.  

O caso aconteceu na segunda (11). Na tarde dessa terça (12), Laylla Cedraz e Adrian Grace foram liberadas após audiência de custódia. As duas juntas têm mais de 100 mil seguidoras nas redes sociais.

Denúncia de homens armados

Na tarde de segunda, moradores da região de Jaguaripe chamaram a PM pelo 190 e informaram que havia homens armados na Pousada Paraíso Perdido. Quando a polícia chegou ao local, foi recebida a tiros e revidou.

No confronto morreram o namorado de Laylla Felipe Augusto Machado, 28, conhecido como Batoré, e Agnaldo Leite da Silva Neto, 29, conhecido como Neto Talisca.

Agnaldo era fugitivo e tinha sido preso acusado de tráfico de drogas, segundo a polícia. Os dois chegaram a ser socorridos e levados ao Hospital Gonçalves Martins, em Nazaré, mas não resistiram aos ferimentos.

As duas influenciadoras foram encontradas ao tentar fugir da pousada.

Ultimas notícias