Search
Close this search box.

BA: Criança morre após passar 1 ano com prego alojado no pulmão em Canavieiras

Compartilhar

Cauan Araújo Conceição, de três anos, morreu nesta terça (5) depois de passar um ano com um prego alojado no pulmão. O caso aconteceu no município de Canavieiras, na Bahia. A família do garoto acusa o hospital Municipal da cidade de negligência, uma vez que a criança foi levada diversas vezes ao local e nunca foi pedido um Raio-X do tórax, local onde reclamava de dores. O objeto só foi descoberto após a família fazer o exame de imagem por conta própria.

O prego ficou alojado no pulão da criança Foto: Reprodução/ TV Santa Cruz

Em junho de 2021, os pais de Cauan, Clarice Araújo e Cosme Conceição, notaram que ele havia engolido algo, mas não conseguiram identificar o que era. Então, foi levado, a primeira vez, ao Hospital. “Naquela noite, eu senti que ele estava engasgado, saiu até sangue da boquinha dele. Aí, imediatamente, eu levei para o hospital, na mesma noite. Chegando lá no hospital, o médico olhou e falou que não tinha nada na garganta da criança. Aí a gente voltou”, conta o pai da criança.

Na penúltima entrada do garoto no hospital, dia 27 de junho, a médica que o atendeu disse que estava com sintomas de asma, mesmo sem fazer nenhum tipo de exame, como das demais vezes que o garoto foi levado ao local. “Ele ficava sentindo febre e tossindo demais. De um tempo para cá, a dor foi começando a chegar. Uma dor do lado direito dele, que ele ficava andando torto, de lado. A gente sempre levando no hospital, e ele só davam medicamento. Aí quando o efeito do medicamento passava, a dor e a febre continuavam vindo, explica Clarice.

Clarice disse ainda que, com o agravamento das dores do garoto, a família fez um Raio-X por conta própria, quando identificaram o tamanho do problema e retornaram ao hospital. “Aí chegou lá, deram medicamento a ele e mandou ficar na espera de alguma regulação para ser transferido. Aí ele foi transferido para Salvador”, disse.

No Hospital Geral do Estado (HGE), o menino passou por uma cirurgia para a retirada do prego, ficou dois dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu. No laudo médico, a causa da morte é broncopneumonia, mas a família enfatiza que ele morreu por negligência. “Eu vi aquilo e fiquei revoltada. Se ele ‘caçassem’ providencia logo, meu filho estaria vivo aqui. Meu filho era uma parte de mim. É doído a pessoa perder um filho. Eu quero justiça para que não aconteça mais isso, para que não aconteça com outras crianças”, finaliza a mãe da criança.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Canavieiras disse que, na última segunda (27), a família buscou atendimento e foram agendados exames para o dia seguinte, 28, mas a pediatra ficou doente e não houve atendimento. Ainda segundo a nota, a família não tinha buscado atendimento antes desta data – 27 de junho, mas a família possui documentos que estiveram na unidade. A Secretaria informou ainda que o caso está em investigação.

Fonte: Noticia preta

Ultimas notícias