Search
Close this search box.

Ação da Polícia Militar em Gamboa não foi pedida pela prefeitura de Cairu; Vídeo

Compartilhar

 “Mandado não se discute. Se cumpre!”, afirmou o Major Rodrigo Chaves

O Major Rodrigo Chaves, líder da 33ª Companhia Independente da Polícia Militar, destacou em entrevista a Livre Notícias a ação ocorrida no distrito de Gamboa, município de Cairu, no Baixo Sul da Bahia. Segundo Chaves, “Mandado não se discute. Se cumpre!” ressaltando a responsabilidade da polícia em executar ordens judiciais sem hesitação. Ele enfatizou a seriedade do papel desempenhado pela força policial na manutenção da ordem e no respeito às decisões legais.

O comandante esclareceu ainda que, conforme certidão oferecida pelo oficial de justiça presente na ação, não houve registro de atos de violência durante o cumprimento do mandado. Chaves reforçou o compromisso da polícia em agir de acordo com os princípios legais, mantendo a integridade e a segurança durante operações dessa natureza.

Outro ponto abordado no discurso do Major foi a ausência de interferência da prefeitura de Cairu na execução da ação. Ele deixou claro que a operação ocorreu estritamente dentro dos parâmetros legais e que não houve influência externa no desempenho das funções da polícia.

A equipe de reportagem da Livre teve acesso ao mandado assinado pelo juiz Leonardo Rulian, o qual identificou as partes envolvidas como figuras privadas que buscaram a justiça para a reintegração de posse de terreno invadido, além de mais 8 envolvidos como invasores. O acesso a esse documento confirma a legalidade e legitimidade da ação empreendida pela polícia militar.

O pronunciamento do Major Rodrigo Chaves e os documentos obtidos pela Livre Notícias deixam transparentes de que não ocorreu nenhuma intervenção da prefeitura para a ação realizada.

Hildécio lamentou
Vítima de diversas fake news, o prefeito Hildécio Meireles (UB), lamentou a atitude de seus opositores em criarem fantasiosas versões – como ele mesmo configura – sobre participação em atos contra o povo local. “Agora até querem me colocar como pivô de atos que não estou envolvido. Tudo de ruim querem atribuir a mim. O povo de Cairu me conhece, sabe quem sou eu, o tanto que eu cuido e prezo pela vida de nossa gente”, bradou.

Ultimas notícias