Pimenta com veneno

Os malditos 20% de Valença!

Se tem uma coisa que me deixa em completa indignação é saber que o povo está pagando pelas más ações projetadas pelos seus gestores. Valença, cidade mater, “nunca vencida” – não sei até quando, tem uma trajetória em suas gestões de abandono, desprezo e completa falta de planejamento.

Há muitos anos, algumas prefeituras na Bahia “respiraram” quando souberam que ganhariam royalties da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, verba paga mensalmente, em moeda nacional, a partir da data de início da produção comercial de cada campo, em montante correspondente a dez por cento da produção de petróleo ou gás natural.

Mas, Valença tem que ter um “quê” a mais, tem que ter aquele “competente” que projeta de forma a “beneficiar”. Vejamos: O ex-prefeito Ricardo Moura (PSD), fez contrato com um escritório de advocacia com o objetivo de melhorar o repasse de verba da ANP, até aí tudo em paz – queimou neurônios pro bem dos munícipes, maaaaaaas saiu todo “melado” ao chancelar uma cláusula que permitia após aumento do repasse, o pagamento de 20% ao mês do que fosse recepcionado pela prefeitura dos royalties, para os advogados que buscaram a pauta. É mole?

Não, não é mole. Eu gostaria muito de mandar cobrar a Ricardo este prejuízo. Somente neste ano, foram aproximadamente R$1,5 milhão pagos aos Procuradores do contrato.

Estes 20% danificam a edificação de tantos e tantos projetos que poderiam estar sendo executados e colaborando, creio eu, com a melhoria da qualidade de vida dos que “passam fome”.

Espero que o atual prefeito, Jairo Baptista (PP), consiga cessar este derramamento de “leite”, porquê visualizo eu que alguém está se lambuzando com o derrame.

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo