Opinando

Solução para acabar com abusos promovidos por padres nas igrejas católicas. Eu quero opinar!

Desde 1945 casos de abuso sexual envolvendo líderes da igreja católica começaram a surgir. A primeira persona envolvida em um fato midiático amplamente publicizado foi o Frei Brendan Smyth, padre irlandês que deu-se como culpado após uma investigação que levou quase meio século, por ter abusado de 17 crianças.

De lá pra cá, ouvimos relatos deste tipo de caso como se fosse propaganda de novos produtos a disposição na prateleira. Contudo, a pergunta que fica é até quando?

Agora é o caso do padre Delson Zacarias que estampa os jornais de destaque nacional e internacional, após abusos a jovens serem expostos perante autoridades policiais, têm até vítimas já mantenedores de famílias – adultos – surgindo e contando os crimes de sedução do padre, que vestido com calcinha por debaixo da bata, suava quando via os jovens nus e revirava os olhos, entoando canções de amor durante o ato. Tem até quem já direcione o apelido de “senhora sudorese” no, agora, ex-líder.

Padre Delson, apelidado de “senhora sudorese”.
Foto: Redes sociais

Contudo é necessário se fazer algumas análises sobre esta situação, que além de manchar a imagem da Igreja Católica – que já enfrenta naturalmente o apontamento de alguns líderes evangélicos, agora coloca mães e pais preocupados, isso em nível de Brasil, com seus filhos frequentando locais coordenados por padres. Haja vista que quem vê a face, não imagina o que nutre o coração? Certo!

O Papa Francisco, tem sido um dos líderes mais apaziguadores da história, erguendo diversas bandeiras brancas para muitos temas. E quando existe uma possibilidade de equação, surge mais um escândalo em um dos maiores núcleos de diálogo e dissertação sobre o abuso sexual: o Brasil, e o pior: envolvendo um de seus comandados!

Solução? Sei que não é uma discussão fácil. Tenho noção também do que pode ser despertado após indício de uma possível liberação, mas é preciso que a igreja católica pense de forma a permitir que os padres se casem, e isso independente de suas opções sexuais.

Sejam eles heteros ou homossexuais, padre é humano, tem carne, sente desejo, e, por vezes preso a um juramento e organização religiosa se omite perante a sociedade. Tudo quando é escondido ocorre por ser mais aventuroso, ou, de repente, até por manter a linha da entidade.

Em princípio, caso não saibam, os padres não se casavam por opção dos mesmos. Porém em 1139, foi oficialmente proibido, alguns pensavam ser por causa da fé, ledo engano, era avareza mesmo! A Igreja temia perder bens para possíveis cônjuges dos membros da organização,. Com isso trancaram os padres e acreditaram que seria felicidade para sempre, só que não! Estamos padecendo pela falta de acompanhamento do fato social por parte do Catolicismo.

Senhores, sejamos verdadeiros e reconheçamos que, enquanto digito este texto, diversas crianças foram abusadas por pedófilos ou estes criminosos estão a espreita de como se aproximar das mesmas. Mas a liberação do casamento para padres pode gerar uma tranquilidade maior, pois sendo heteros ou homossexuais teriam seus parceiros ou parceiras para viverem, e assim o número seria consideravelmente minuído.

Afinal, qual o problema em termos um padre assumidamente gay na missa? Eu, católico, não sentiria nenhuma repulsa em relação a isso. Você teria?

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo