Notícias

Rio: Grávida morre durante tiroteio entre policiais e traficantes

Um tiroteio entre policiais militares e traficantes, no Complexo do Lins, resultou na morte de Kathlen de Oliveira Romeu, de 24 anos, na tarde desta terça-feira (8). Ela estava grávida, foi levada para um hospital e não resistiu a um tiro.

De acordo com a Polícia Militar (PM), os policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins foram atacados a tiros por criminosos na localidade conhecida como Beco da 14, tendo ocorrido confronto na ação, sendo apreendidos um carregador de fuzil, munições de calibre 9mm e drogas.

“Após cessarem os disparos, os militares encontraram uma mulher ferida e a socorreram ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde – infelizmente – não resistiu. O local está preservado e a perícia foi acionada”, informou, em nota, a PM.

A Delegacia de Homicídios da Capital investiga o caso. Em paralelo às investigações da Polícia Civil, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) vai instaurar um procedimento apuratório para averiguar as circunstâncias do fato.

Após a ocorrência, moradores da região obstruíram a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá e atearam fogo em objetos. A via, que liga a Tijuca a Jacarepaguá e à Barra da Tijuca, foi liberada no início da noite.

Gravidez anunciada na última semana

Kathlen estava grávida de 14 semanas e a espera do primeiro filho foi anunciada por ela em sua conta no Instagram no último dia 2. “Estou me descobrindo como mãe e fico assustada pendando como vai ser… Dou risada, choro e tenho medo. Um misto de sentimentos. Talvez os mais doidos do mundo, mas vou dar risada lá na frente disso tudo. Obrigada Senhor por abençoar meu ventre e me permitir gerar o amor da minha vida”, escreveu.

Nas redes sociais, amigas e o namorado de Kathlen fizeram homenagens e lamentaram a morte da jovem. “Estou sem chão”, escreveu uma delas. “Eu te amo tanto”, escreveu outra amiga, ao compartilhar um “print” de uma chamada de vídeo com kathlen já dois anos.

Artistas também se sensibilizaram com a morte da jovem e criticaram a “Guerra contra as drogas”, que ultimamente vem exterminando vidas inocentes em operações policiais.

Com informações da Agência Brasil.

Raylane Santos

Raylane Santos é jornalista de Livre Notícias e Analista de Figuras Públicas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo