Notícias

Morre dono de fábrica clandestina que explodiu e matou 64 pessoas em SAJ

O dono da fábrica clandestina de fogos de artifício, que explodiu em dezembro de 1998, deixando 64 pessoas mortas em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, morreu na terça-feira (25). O corpo dele será sepultado na manhã desta quarta (26), no cemitério da cidade.

Osvaldo Bastos sofreu um infarto e foi hospitalizado no sábado (22). De acordo com a prefeitura da cidade, ele estava internado e aguardava para fazer uma angioplastia, que é uma cirurgia para tirar placas de gordura de artérias entupidas no coração.

Conhecido como “Vado dos Fogos”, ele está sendo velado desde o início da manhã desta quarta (26) e será enterrado às 10h.

A explosão ocorreu pouco depois das 11h do dia 11 de dezembro de 1998. Os homens ficavam em um local fabricando as bombas, enquanto as mulheres ficavam em uma área mais acima, amarrando os traques de pólvora. Foram as mulheres e as crianças as maiores vítimas da explosão.

Em 1999, o Ministério Público da Bahia entrou com medida cautelar para bloquear os bens dos responsáveis pela fábrica clandestina. Em 2013, foi fechado um acordo para pagamento de indenizações às famílias das vítimas, contudo o acordo foi descumprido. Em 2016, um novo acordo foi feito, mas segundo a promotora Aline Coutrim, só foi pago parcialmente.

Na esfera criminal, oito pessoas foram a júri popular, no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador, no ano de 2010: Oswaldo Bastos Prazeres, o dono da fazenda, quatro filhos dele e três funcionários.

Os funcionários foram absolvidos, enquanto Osvaldo e os filhos foram condenados à prisão, com penas que variaram entre 9 e 10 anos. Na época, a reportagem tentou contato com os advogados atuais dos acusados, mas não obteve sucesso. Fonte: G1.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo