Notícias

Boxeador olímpico é preso acusado de matar a amante grávida

Caso foi em Porto Rico; casado, Félix Verdejo não queria ter o bebê

O boxeador porto-riquenho Félix Verdejo foi preso acusado de matar a amante grávida. Ele se entregou para as autoridades de San Juan diante das crescentes suspeitas de ser o responsável pela morte de Keishla Rodríguez. Segundo o New York Post, o corpo dela foi achado no domingo (2) depois dela desaparecer na quinta da última semana.

Verdejo, que tem 27 anos, representou Porto Rico nas Olimpíadas de Londres, quando foi eliminado ainda na primeira fase. Ele tem 29 lutas nas carreiras, com 27 vitórias e duas derrotas.

A suspeita da polícia é que o boxeador injetou uma substância no corpo da amante. Depois, ele teria amarrado as pernas e braços dela com arame e prendido a um bloco de concreto, atirando-a em um lago. Ele também é suspeito de ter atirado nela.

Uma testemunha viu o boxeador no alto de uma ponte de onde o corpo teria sido atirado. Ela procurou a polícia e o atleta passou a ser considerado uma “pessoa de interesse” no caso. Na própria quinta, ele foi procurado em casa pela polícia, mas se recusou a responder às questões porque não estava com um advogado.

A mãe de Keishla contou que ela era ammiga do boxeador desde a infância e depois passou a ter um relacionamento com ele. A vítima estava grávida do suspeito, segundo a mãe.

Como Verdejo é casado, ele não queria que Keishla tivesse o bebê, contou a mãe da vítima. Na última conversa com a filha antes dela desaparecer, Keishla contou para a mãe que o boxeador iria até sua casa para ver o exame que confirmava a gravidez.

O boxeador já teria ameaçado a amante. “Eu disse para ela ter cuidado, porque ele já a havia ameaçado”, contou ela, citada no New York Post.

O caso segue sob investigação. Não há informação sobre o que a defesa do boxeador alega.

Fonte: Correio24h.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo