Opinando

De Jean-Jacques Rousseau a Reginaldo Araújo; a tenuidade entre a esperança e a razão

Quem ouviu, assistiu, e até mesmo se irritou com o discurso do vereador Reginaldo Araújo (PL), durante a votação do parecer de contas do ex-prefeito Ricardo Moura, emitido pelo Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, pôde entender o que significa de fato o poder da influenciação.

O golpe de Moura teria sido menor se Araújo não tivesse utilizado de artimanhas psicológicas, colocando-se no púlpito como cidadão e após ter dado esperanças aos que apreciavam, da possibilidade de uma negativa ao parecer do TCM, ter reencarnado a figura de vereador e chamado os demais para a responsabilidade perante o certame.

Reginaldo Araújo seguiu para o quinto mandato.
Foto: Redes Sociais

“Eu quero votar contra o parecer do TCM, eu repito, quero votar contra o parecer do TCM”, firmava em voz alta o vereador, deixando sem entender os expectadores internautas e radiouvintes que levou a sessão a sua maior audiência do ano de 2021. Após seus firmamentos Araújo levou mais de 20 minutos levando o público a uma confusão mental, alguns o julgavam, outros sorriam e falavam bem do mesmo por querer votar em favor de Ricardo – seguidores do ex-prefeito iniciaram elogios ao vereador nas redes, mas na contagem regressiva, com um golpe final, Reginaldo “recupera” a lucidez legislativa e afirma que queria, mas não pode “votar contra o TCM pois outras irregularidades estão somadas a recusa” apresentada.

Quando questionei a Araújo o porquê ele havia jogado esperança no seu pronunciamento ele respondeu-me que ele levou a Ricardo “a mesma esperança que foi levada aos cidadãos valencianos e frustrada ao início do segundo tempo”, se referindo ao início de 2018 como a segunda parte do campeonato administrativo do peesedista. “Ao fim, deixei claro para ele que a casa não pode ser enganada, que as pessoas não podem ser destratadas e descartadas, que não se oferta sonhos e frustra-os sem pagar”, declarou.

O vereador trouxe reflexos do filósofo Jean-Jacques Rousseau citando falas acerca do pacto social, um dos maiores sucessos do suíço em “O Contrato Social” – que lhe rendeu destaque enquanto pensador crítico.

Aproveitei e questionei a Reginaldo como é o retorno a Câmara Municipal, e o mesmo disse que há um sabor de novo, pois, segundo ele, cada ano do mandato é formulado por uma série de novidades que anelam o legislativo para funcionamento.

Ao final da ligação o pedagogo e especialista em educação disse que rogava a Deus para que os próximos gestores tenham entendido o recado!

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo