Pimenta com veneno

Seria de Clóvis, o voto de minerva ou o da condenação?

Próxima terça (13), pode se transformar numa Sexta Feira 13, para o ex-prefeito Ricardo Moura (PSD), ou até mesmo na Terça dos Sonhos. Isso porquê, caso, um dos vereadores que fizeram parte do grupo da gestão passada voltar contra, o insucesso é garantido.

Realizando cálculos na tarde desta sexta (09), cheguei a conclusão de que 5 votos contra já estão prontos para serem ofertados às contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas e deixando inelegível por 8 anos o quase historiador Silva Moura.

Ao que parece, Junior está mais cotado que o dólar pelas próximas duas semanas.
Foto: Redes Sociais

Ryan Costa (PL), Reginaldo Araújo (PL), Antônio Heraldo (PL), Valdir Silvestre (PC do B) e Bertolino Junior (PP), são alguns dos nomes que deverão assinar o livro negro chancelando a decisão da corte analista de contas dos municípios, porém ainda assim, caso os outros 10 votassem em favor das contas tudo estaria “como dantes em Abrantes”, mas um nome surge no jogo e pode mudar tudo caso haja pelo que opinou a comissão de Finanças e Orçamento da Câmara de Valença: Clóvis Júnior (PSD).

Clóvis seria uma espécie de voto minerva, para que a complementação dos dois terços fosse executada e Ricardo conseguisse o habeas corpus, porém existem diversas situações que estão sendo levadas em conta, a exemplo do fato de haver sido líder do governo, ter trânsito livre nas secretarias do governo passado e embora os embates ocorressem, era também uma espécie de antagonista amoroso.

O único documento que prova a não concordância de Clóvis com as contas é o relatório, lido por mim, porém ainda existe, além da primeira, a segunda votação que pode mudar tudo.

Alguns dizem que existe muita coisa por detrás de uma votação de contas, inclusive pode ocorrer de vereador dar voto negativo na primeira sessão e na segunda ser positivo, mas aí depende da disposição do ex, se é que me entendem. Mas aguardemos para saber se Ricardo perderá mais cabelos (da cabeça) ou se manterá pleno no processo, e já que anular Ricardo só favorece duas pessoas, vejamos agora qual a ideia se passa na cabeça das excelências legislativas.

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo