Educação

Estudantes da rede estadual terão aula de segunda a sábado; confira o planejamento

Aulas remotas serão iniciadas no dia 15 de março; expectativa é concluir os anos letivos de 2020 e 2021 até o dia 29 de dezembro, com 6 horas e 40 minutos de aula por dia

Depois de anunciar o retorno das aulas remotas da rede estadual para o dia 15 de março, o governo da Bahia detalhou nesta quarta-feira (24) o planejamento feito para garantir a conclusão dos anos letivos de 2020 e 2021 até o dia 29 de dezembro, seguindo o limite definido pela lei federal nº 14.040.

O plano foi detalhado pelo secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, por meio de coletiva transmitida pelo YouTube. Na ocasião, ele reforçou que todo o planejamento foi embasado em diálogos com órgãos da saúde e da educação, entre eles a Sesab (Secretaria de Saúde da Bahia), o Sinpro (Sindicato dos Professores no Estado da Bahia) e a Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação).

De acordo com Rodrigues, com a dívida de 700 horas de aula do ano de 2020, somada às 800 aulas de 2021, os alunos da rede estadual terão que cursar 1.500 horas de aula até dezembro. A expectativa é que sejam ministradas 6 horas e 40 minutos de aulas por dia, divididos entre os turnos da manhã, tarde e noite.

“São 228 dias letivos. Utilizaremos todos os dias da semana, menos domingo, para que a gente possa fazer a compensação e que não haja prejuízo para os estudantes. Vamos fazer a compensação da carga horária de 2020 em 2021, como diz a base legal”, afirmou.

O retorno ocorrerá em três fases, com início 100% remoto, mas projetando aumento gradativo da jornada presencial que dependerá do panorama da pandemia do novo coronavírus na Bahia. Antes disso, de 8 a 12 de março, haverá a Jornada Pedagógica, também remotamente.

Para o início das aulas, no dia 15 de março, serão disponibilizados materiais e livros digitais e não digitais para os estudantes. A segunda fase, chamada de híbrida, prevê que os alunos assistam três aulas na sala e três em casa. A fase projeta o retorno total do ensino de maneira presencial, mas somente após a vacinação em massa da população.

“Temos de 8 a 12 de março a jornada pedagógica Paulo Freire. Esse ano vamos fazer uma homenagem ao centenário de Paulo Freire. No dia 15 de março, iniciaremos as atividades letivas, fazendo um ano contínuo. Os estudantes que são, digamos, cursam o primeiro ano, serão automaticamente matriculados no segundo ano. Haveremos de trabalhar isso nas escolas, com os estudantes, com as famílias, com os professores. Temos um plano firme para isso, vamos trabalhar com sentimento de construção. As aulas presenciais, a gente repete, só quando tivermos condições de saúde reais para evitar um caos na segurança pública da saúde”, explicou Jerônimo Rodrigues.

Matrícula – Conforme informou o secretário, a matrícula será automática para os alunos que já são da rede estadual. Alunos de outras redes, como municipal e privada, terão um calendário para realizar a matrícula, também de forma remota, sem a necessidade de comparecer às escolas.

Os alunos que por ventura tiverem finalizado o ano letivo de 2020, poderão realizar uma pré-matrícula para começar a acompanhar as aulas iniciadas em março. No dia 1º, os professores começam a ser preparados para a nova dinâmica de aulas.

Material didático – Para o retorno das aulas, foram estabelecidos os seguintes métodos: livros didáticos; salas virtuais do Google; cadernos de apoio à aprendizagem; Programa Mais Estudo: 2 monitores por turma, 52 mil estudantes; exercícios de reforço via WhatsApp:  Chatclass Bahia; internet nas escolas, por meio de provedores locais; novo canal TVE, o Educa Bahia, que estreia no dia 1º de março.

“As aulas serão gravadas, disponibilizadas em todos os seus conteúdos. Temos um acervo de aula muito qualificado. Além da TVE, criamos o canal Educa Bahia. Nele, estarão todas essas aulas em horários programados. Tem uma equipe pedagógica tratando dos programas. Para as lives, palestras importantes que vão acontecer, iremos utilizar o canal da TVE para fazer chegar até você mais informações”, disse Jerônimo Rodrigues.

E acrescentou: “O estudante que tem internet, vai acessar pela internet. Quem não tem, haveremos de fazer entrega física [do material didático] nas escolas, com tranquilidade, nada de corre corre. Faremos um calendário como fizemos com a testagem. O estudante pega o material, e recebe um prazo. Haverá um sistema de acompanhamento. Nós temos um Sistema de Apoio à Gestão de Aprendizagem, que se chama Saga”.

Fonte: bahia.ba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo