Saúde

Cerca de 60 mil mortes por coronavírus podem não ter sido notificadas, diz Fiocruz

Óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave cresceram no país e ficaram muito acima do número registrado em 2018 e 2019

O número de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que inclui a Covid-19, cresceu no Brasil em 2020 e chegou a quase 253 mil. Os óbitos estão acima do previsto para o ano com base nos dados de 2018 (5.473) e 2019 (5.279). No mesmo período do ano passado, o país registrou 186.649 mortes por coronavírus.

Conforme a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), baseada nesses dados, apesar de ainda não representarem a totalização, a suspeita é que pelo menos 66 mil mortes pela doença possam ter sido subnotificadas. A informação foi passada à coluna de Leonardo Sakamoto, do UOL, pelo pesquisador do Laboratório de Informação em Saúde do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde da Fiocruz, Diego Xavier.

Uma das principais hipóteses alega que no início da pandemia os profissionais de saúde teriam optado por adotar o diagnóstico de SRAG baseado nos sintomas. Naquele período, o número de testes e equipamentos para coletar e analisar cada caso ainda era reduzido, o que pode ter dificultado boa parte dos diagnósticos.

Via bahia.ba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo