Notícias

Entidade vai processar Ana Paula Valadão após cantora associar LGBTs ao pecado e a Aids

Apesar da declaração, Ministério da Saúde mostrou que maioria dos infectados pelo HIV são heterossexuais

A Aliança Nacional LGBTI+ anunciou que irá entrar com um processo contra a cantora gospel Ana Paula Valadão após ela associar homossexualidade ao pecado e ao surgimento da Aids. De acordo com o advogado e coordenador da entidade, Marcel Jeronymo, a fala de Ana Paula caracteriza crime, se referindo à decisão do Supremo, que equipara homofobia ao racismo.

“A pastora, ao associar o HIV à comunidade LGBTI, comete o mesmo equívoco daqueles que quiseram ligar a pandemia do coronavírus à China. É crime. Vamos representá-la por LGBTFOBIA, nos termos da decisão do STF”, afirmou em entrevista ao site da Carta Capital.

No último sábado (12), Ana Paula Valadão virou alvo de críticas nas redes sociais após afirmar que a homossexualidade era anormal. De acordo com ela, a chegada da Aids mostrava que a união sexual entre dois homens era responsável por causar este tipo de enfermidade e ainda contaminava as mulheres. A fala foi dita durante o programa Diante do Trono, na Rede Super.

“Muita gente acha que isso [homossexualidade] é normal. Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências. A Bíblia chama de qualquer opção contrária ao que Deus determinou, de pecado. E o pecado tem uma consequência que é a morte”, afirmou.

“Tudo que é distorcido traz consequências, naturalmente. Nem é Deus trazendo uma praga ou um juízo não. Taí a Aids pra mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte, contamina as mulheres”, completou.

Apesar da declaração da pastora, um estudo divulgado pelo Boletim Epidemiológico de HIV/AIDS do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, em 2019, mostrou que a maioria dos brasileiros infectados pelo HIV são heterossexuais.

Conforme o estudo, 57,74% da população que convive com a doença se relaciona com pessoas do sexo oposto. Entre 2007 e 2019, foi contabilizado que 105.014 das pessoas que contraíram o vírus no sexo são homens que se relacionam com outros homens, enquanto 143.506 são heterossexuais.

Via Varela Notícias.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo