Notícias

Pai vende farinha em semáforo de Salvador para pagar mensalidades atrasadas da faculdade da filha: ‘Família unida é outra coisa’

Aposentado acabou fechando o mercadinho que tinha, por causa da pandemia, e perdeu a maior fonte de sustento da família.

Um homem está vendendo farinha de mandioca em um semáforo de Salvador para conseguir pagar mensalidades atrasadas da faculdade da filha, que está no último semestre. Ele tinha um pequeno negócio, um mercadinho, que acabou fechando por causa das dificuldades provocadas pela pandemia do novo coronavírus.

“O que eu estou fazendo aqui é de grande valia para minha filha, ela tem convicção do amor que tenho por ela. Tenho dois filhos. Família unida é outra coisa”, relatou José Pereira, ex-professor de gramática e funcionário público aposentado.

De acordo com a família, José precisa pagar quatro mensalidades do semestre de 2020.1, que estão em aberto, mais a rematrícula, que totalizam R$ 6.900. Após o aumento das despesas em casa com a pandemia, o aposentado perdeu o mercadinho que ajudava a custear as prestações da universidade da filha. Ele deixa a situação explicada em um cartaz que segura no semáforo, para que as pessoas entendam melhor o apelo dele.

“Eu vinha com minha vida equilibrada, mantinha minha vida tranquilamente. Mas, de repente, com a chegada da pandemia, causou desestabilidade financeira, na qual me trouxe para sinaleira [semáforo]. O objetivo em particular, de imediato, é conseguir manter nossa filha na universidade, que está cursando no último semestre. Eu tenho que conseguir os 3 ou 4 meses que atrasei, como também a rematrícula, sem ela não tem nada feito”, explicou José.

“O mais importante é o estudo e essa atitude a gente tem que beneficiar uma forma, ajudando. Eu não preciso do alimento, mas tentei ajudar”, contou a contadora Tânia Alves, uma cliente que passou no local.

No dia dos pais, a cozinheira Maria Pereira, companheira de José, também foi para a rua com ele para vender a farinha. Imagens registraram o momento das vendas e circularam nas nas redes sociais. “Mil marido, mil pai, amigo, companheiro, guerreiro, ele merece muita honra”, disse Maria.

A estudante Luana Pereira, de 22 anos, faz o curso de economia na faculdade Anhembi Morumbi, em São Paulo. Ela precisou voltar para casa para passar o período de pandemia com os pais. A jovem é o motivo de todo o esforço deles e comentou sobre o orgulho que tem.

“É um orgulho, eles dois não tem o que falar, fazem o possível e o impossível, principalmente nessa situação que estamos vivendo. Muito orgulho, muito amor e muita fé. Eles me ensinam isso todos os dias”, contou a estudante.

Os interessados em ajudar a família podem entrar em contato por telefone: 71 9 8136-3113.

Via G1

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo