Opinando

Do quarto do pânico poderão sair os cavalheiros da “Távola Redonda”

Há mais ou menos seis meses escrevi um texto sobre a espécie extinta no município de Valença: os vices. Os componentes de majoritária que nenhum postulante queria ocupar, em sua maioria.

Hoje, após amadurecimento de diversos prés e o anúncio da chapa da candidata do PL e seu vice do PSB, que causou um verdadeiro reordenamento na política de Valença, tenho certeza, que alterando o rumo de diversos planos da chapa e demais que tomaram por surpresa receber em suas portas de esperança de malas prontas o Republicanos, representado pelo ex-prefeito Cláudio Queiroz e a vereadora Lorena Mercês, que se rebelaram após decisão de chapa sem aval dos componentes do Grupo Confiança.

A esta ‘hora’, na “Távola Redonda”, estão três partidos a decidir seus destinos no “Quarto do Pânico”. Partidos importantes e portando cavalheiros com créditos públicos, em baixa rejeição e visto com outros olhos desde as últimas semanas.

Teríamos uma formação de chapa baseada na experiência da idade e a força de um maturado e ainda jovem? Ou a formação de uma chapa pura com apoio de uma instituição recheada de seguidores fiéis? Ou ainda a união destes três, que formariam uma aliança e com explicação cabível no cenário?

São várias perguntas que podemos especular respostas, mas tudo no talvez. Nada ainda na certeza de fechamento. Porém, sem querer causar qualquer tipo de desespero nas estruturas, mas, meus amigos, uma coisa é certa, um paredão de choque poderá vir aí e com apoios inimagináveis.

Espero que nas próximas horas tenhamos manteiga pra pipoca, com direito a refrigerante e chocolate grátis, claro, na sobremesa.

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar
Fechar