Pimenta com veneno

Cláudio diz que era Lorena. Nunca foi ele!

Diversas versões estão sendo impostas nas rodas virtuais de conversa sobre a saída do republicano Cláudio Queiroz do Grupo Confiança, após a não concordância do coordenador sobre o modo de composição da chapa majoritária.

Na primeira versão contada por terceiros, Cláudio teria não aceitado o nome de Jucélia e teria ido para cima.

Na segunda versão, teria uma pesquisa teria sido feito e alterada, o que machucou o Republicanos.

Na terceira versão desta novela mexicana, contada por Raimundo Costa, deputado do PL, em entrevista do radialista Rodrigo Mário, no Programa Espaço Aberto, Cláudio Queiroz teria saído pelo desejo de ser candidato. “Direito primordial dele em ser candidato. Mas o que foi acordado nós cumprimos”, defendeu o deputado.

Dúvidas postas, pareceu que Cláudio voltou atrás e quis ser candidato, fui arguir o empresário, que me respondeu nunca ter querido vaga na chapa, quis indicar a vereadora Lorena para vice. “Quando vimos que tínhamos uma porcentagem importante, quis indicar Lorena, proposta que não foi aceita. Como eu não poderia desconsiderar a minha companheira de partido, informei ao Bispo Márcio Marinho que nos acompanhou no rompimento”, disse Queiroz.

A vereadora Lorena Mercês tem dado incentivo a toda e qualquer decisão que se venha a ser tomada, segundo ele.

Pois bem senhores, o que muitos pensavam que não, pode ocorrer, e um tiro ricochetar na face dos atiradores políticos, pois, Cláudio se já aliado a Joailton adentrarem ao grupo de Jairo Baptista com status de liderança, seria formado um novo grupo de oposição, que não fragmentado daria mais trabalho, pois os três carregam adjetivos que são pedidos pelos eleitores.

Por fim, não era Cláudio, era Lorena, que agora quer que Cláudio vá.

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar