Pimenta com veneno

A análise até foi boa. Mas Cíntia sumiu?

*Por Wellingthon Anunpciação
Apreciando a análise política dos contidos no cenário para o próximo pleito do município de Cairu, no Baixo Sul da Bahia, me assustei ao observar que o blogueiro Washington Pelegrini esqueceu de citar Cíntia Rosemberg, liderança do município arquipélago, muito bem votada nas últimas eleições e talvez derrotada por forças ocultas que sempre surgem nas sextas-feiras que antecedem o dia da votação.

Por onde passa, crianças, adolescentes, adultos e idosos encantam-se com o modo de atenção dispensado aos cairuenses. Foto: Redes Sociais

Omitir Rosemberg do cenário, em minha humilde e humana opinião enquanto analista político é fadar a história do município ao fracasso, afinal seria está a oportunidade dos cairuenses estudarem a oportunidade de terem a primeira prefeita do local, e quem sabe dar aos cairuenses a mãe que muitos já a consideram. Por onde passa, Cíntia é querida, e mais, respeitada pela oposição, que não levanta sequer a voz para a formanda em medicina que segundo informes não desfaz de seus próprios opositores. O que a coloca na frente de muitos que pleiteiam a função de destaque.

Não há registros de que o ex-deputado estadual, Hildécio Meireles, teria batido martelo e decretado seu nome como exclusivo na disputa, não há ainda registro de declarações da fisioterapeuta sobre esta midiática desistência. Omitir o nome de Cíntia trata-se de ação machista e decorada com pano de fundo de preconceito feminino, já que todos sabem que Rosemberg atualmente envolve-se em campanhas sociais de combate a violência contra a mulher e demais classes.

Hildécio marcou época, foi sem dúvida o melhor prefeito que Cairu pôde ter, especialmente por sua visão futurista, mas junto com Cíntia formou um clã de sucesso, pois há registros de novos eleitores e líderes do grupo qual ele e sua esposa capitaneiam, que direcionaram-se ao abrigo dos dois em razão da liderança de Hildécio, mas também pela forma de abrigo seguro que Cíntia oferece, isso tudo sem pagar por lideranças, sem comprar esta fama. Sendo naturais, líderes naturais.

Um mais um é sempre mais, e ainda que não saia candidata, ela pode influenciar, reorganizar e adaptar.

Pensar política atualmente sem imagem feminina, talvez somente na cidade de quem pensa, escreve e imprime pensamento machista.

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo