Notícias

Auxílio Emergencial: Correios começam a cadastrar beneficiários

Cerca de 14 milhões de cidadãos serão beneficiados com o modelo de cadastro pelos Correios

Nesta segunda-feira (8), as quase 12 mil agências dos Correios em todo o Brasil começaram a cadastrar os cidadãos que gostariam de receber o auxílio emergencial de R$ 600. O anúncio do novo serviço foi feito no sábado (6) pela direção nacional da companhia. 

A ideia é que, além dos cadastros, os funcionários dos Correios também façam consultas sobre as análises pendentes de quem já se inscreveu. Os atendimentos são realizados das 8 às 16 horas. 

A iniciativa é uma parceria com o Ministério da Cidadania e visa auxiliar quem não conseguiu realizar o cadastro para receber o benefício de maneira online na plataforma do governo, site ou aplicativo. 
Segundo o Executivo, a estimativa é que cerca de 14 milhões de pessoas não conseguiram se inscrever no programa de ajuda financeira e o motivo é o acesso restrito à internet ou dispositivos tecnológicos, como celulares e computadores. 
Os Correios orientam que a nova medida será apenas para esse público e para os que aguardam resultado do pedido, não será possível solicitar um novo. 

Novas parcelas do Auxílio Emergencial 

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em transmissão ao vivo em suas redes sociais, que o governo concederá mais duas parcelas do benefício. O calendário dos novos pagamentos estava previsto para sair nesta segunda-feira (8), porém, até às 8 h desta terça-feira (9), ainda não havia sido divulgado. 
De acordo com membros do Ministério da Cidadania, o cronograma seguirá os mesmo moldes da primeira e segunda parcela, com datas separadas para depósito e saque, conforme o mês de nascimento do cidadão. 

Outra novidade anunciada em relação ao benefício é que os valores da 3ª e 4ª parcela serão de de R$ 300, metade do que atualmente está sendo pago. Segundo o presidente, a ideia da redução da verba é justamente caminhar para o fim do benefício. 
As novas parcelas terão custo de R$ 51 bilhões a mais para os cofres públicos. 

Wellingthon Anunpciação

Jornalista Especialista em Comunicação Política

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo