Morte de Tuka Rocha foi precipitação de narrador esportivo

*Com informações do Correio da Bahia – Fernanda Varela

O ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha segue internado no Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, em estado grave. Ele é um dos sobreviventes do acidente aéreo que sofreu em Maraú, no sul da Bahia, que ocorreu nesta quinta-feira (14).

Na manhã deste sábado (16), a morte de Tuka chegou a ser noticiada ao vivo pelo comentarista Luciano Burti, durante a transmissão dos treinos livres para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 no canal SporTV, além de ter sido divulgada por sites especializados de Stock Car, com confirmação da assessoria de imprensa do atleta, e pelo Correio da Bahia. No entanto, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia negou a informação e confirmou que ele segue vivo.

A notícia também foi desmentida por outro narrador da casa, Sergio Mauricio, que pediu desculpas pela informação divulgada.

Informações 
Tuka, que se chama Christiano Chiaradia Alcoba Rocha e tinha 36 anos, segue internado no Hospital Geral do Estado, em Salvador, e teve 80% do corpo queimado no acidente. Além dele, a jornalista e relações públicas Marcela Brandão Elias, 37 anos, também não resistiu e morreu carbonizada ainda no local do acidente.

No jatinho estavam Eduardo Trajano Elias, Marcela Brandão Elias e Eduardo Brandão (de 6 anos e filho do casal), o ex-piloto de Stockcar Tuka Rocha, além de Maysa Mussi, esposa de Eduardo Mussi, também ocupante do avião e irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP), Marcelo Constantino Alves, Marie Cavelan, Fernando Oliveira e Aires Napoleão Guerra, piloto do avião, que caiu nesta quinta-feira (14).

Dos sobreviventes, oito seguem internados em estado grave no setor de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE) e um foi levado para o Hospital do Subúrbio.

A maior parte deles está sob efeito de sedativos, por causa da forte dor pelo corpo, e alguns chegaram a precisar de anestesia geral para que a equipe médica pudesse fazer o processo de limpeza e curativos.

Um dos casos mais preocupantes é o de Maysa Mussi, 27, que não pôde ser transferida para o HGE devido ao quadro delicado de saúde. Os médicos do Hospital do Subúrbio poderão fazer a transferência apenas quando ela apresentar uma melhora e tiver condição clínica de passar por todo o processo de transporte sem riscos.

O bimotor Cesna Citation 550 de Prefixo PT-LTJ caiu próximo da pista de pouso do resort Kiaroa Eco-Luxury Resort, na praia de Barra Grande, distrito de Maraú, na região sul da Bahia, e é de propriedade do bilionário brasileiro José João Abdalla Filho, de 74 anos. A aeronave transportava 10 pessoas.  

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo