Valença: Vereadores descobrem esquema de propina realizado por funcionário da Receita Municipal


Na manhã do feriado municipal em homenagem a Nossa Senhora do Amparo, (08), o vereadores Lorena Mercês (PRB), Benvindo Luz (PSL), Robson Pimentel (PPS) e Jurandir Almeida (PDT), realizaram uma operação na Avenida Marita Almeida – onde se encontra os ambulantes oriundos de outros municípios e que se instalaram em Valença para venda de variados produtos -, para averiguar denuncias sobre um funcionário do Departamento da Receita Municipal da Prefeitura de Valença, que estaria recebendo altos valores, de forma parcelada para ‘guardar’ lugar na Avenida para instalação dos vendedores.
O funcionário identificado como Valter Ramos, é acusado pelos ambulantes de cobrar propina de mais de R$3mil (em alguns casos) para manter os mesmos no local, e junto ao feito já efetuar o pagamento do Documento de Arrecadação Municipal (DAM).

Extrato entregue por uma ambulante que pagou a propina.O funcionário recebe um salário de mais R$1,4mil segundo o Portal da Transparência do TCM.

Após recolhimento de provas os vereadores se dirigiram a Delegacia de Polícia, com o objetivo de prestar queixa sobre o ocorrido.
“Estamos com as informações prestadas pelos ambulantes, temos os comprovantes e vamos abrir uma CPI para averiguar cada mínimo detalhe desta situação”, afirmou o vereador Robson Pimentel, que demonstrou tristeza quando soube que o funcionário seria efetivo do quadro de servidores.

                         Na delegacia os vereadores adotaram os procedimentos legais.

Em contato com o jornalista Wellingthon Anunpciação, o diretor do Departamento da Receita Municipal Alberto Madureira Pinto, informou que atos ilícitos não serão perdoados. “Através da chefia do secretário da Fazenda, Fidélis Negrão, estaremos realizando todos os procedimentos necessários e combateremos este crime, que com certeza macula a imagem da equipe da Receita, que muito honesta neste momento se envergonha deste ato. Será punido com todos os rigores”, afirmou.
O secretário da Administração, Sinezio Neto, disse, por telefone, que nesta segunda todos os procedimentos serão adotados e os envolvidos serão punidos.
O vereador Jurandir Almeida, disse que através da CPI ouvirá o envolvido e em caso de demais nomes envolvidos, caso haja, receberão rigorosas punições.
Lorena Mercês se posicionou com o objetivo de destruir estas estruturas montadas na administração para lesar o bem público. “Segunda-feira, na primeira hora, estaremos tomando todas as medidas cabíveis, isto não é mais aceito, nosso povo não merece isso”, bradou a vereadora.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *