Valença: Manifestações e polêmica na Lavagem do Amparo


Componentes dos terreiros realizam o culto afro antes da Lavagem das escadarias.

Aconteceu por mais um ano consecutivo (domingo – 29), realizado pela secretaria de Cultura, a centenária Lavagem do Amparo, evento que reúne em seu contexto original terreiros, povo de santo e líderes do candomblé. Porém, este ano a Lavagem foi um pouco mais movimentada, devido a corrida política.
Os deputados federais Aleluia (DEM), Cláudio Cajado (DEM) e Marcos Medrado (Podemos), os estaduais Hildécio Meireles (PMDB) e Alex Lima (Podemos) estiveram presentes ao evento que saiu da Rua Comendador Madureira, próximo as dependências da Câmara Municipal em direção ao Adro do Amparo.
O deputado Aleluia não agradou a população, foi mal visto e chamado de golpista pelos presentes ao evento, e segundo o Blog do Pelegrini o mesmo chegou a chamar uma das manifestantes de ‘prostituta’, fato ainda não confirmado pela organização do evento.
Enquanto os ânimos estavam alterados pelo deputado democrata e sua comitiva, quem recebeu créditos e demonstrava alegria foi o deputado Marcos Medrado, que saiu do espaço do evento no final, sendo recepcionado e abraçado pela população que fazia questão de fotos e diálogo com o empresário de mídias. Outro fato que chamou atenção foi a manifestação da primeira-dama Margareth Moura em citar nos bastidores que estará caminhando com Marcos Medrado nas próximas eleições, fato ainda não confirmado oficialmente pela secretária de Promoção Social.

 O deputado Alex Lima (Podemos) esteve presente no evento ao lado da ex-prefeita Jucélia Nascimento.

Polêmica
Outra polêmica ocorrida na Lavagem foram as declarações da secretária da Cultura, Janete Vomeri, que desferiu nas redes sociais declarações contra o líder comunitário Jeová Avelar, segundo Janete ‘não existe escravo da igreja católica’, isso quanto as declarações feitas por Avelar no momento da Lavagem, quando citou que ‘quem mandava era a Igreja Católica’, segundo Janete ‘o tempo da inquisição já passou’. O líder comunitário não foi encontrado para falar seu posicionamento, mas segundo alguns babalorixás Jeová é muito querido por eles, por defender a bandeira dos mesmos nos espaços que se encontra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *