Valença: Encontro da CIR esclarece e tranquiliza situação da Santa Casa de Valença


Aconteceu na última terça (31), no auditório da Policlínica Regional de Saúde, em Valença, no Baixo Sul do Estado, o encontro da Comissão de Intergestores Regional de Saúde – CIR, para tratar de diversos assuntos e também acerca das condições de trabalho da Santa Casa de Misericórdia de Valença, instituição regional que alegou crise financeira nos últimos dias.
No encontro Naia Lucena, Diretora de Controle da Superintendência de Regulação e Contratos explanou de forma detalhada as verbas que são repassadas diretamente para a Santa Casa, para atendimentos de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar.
Em um encontro com o jornalista Wellingthon Anunpciação, Naia explanou que o contrato da Santa Casa de Misericórdia é gerido por metas, além do valor fixado em contrado, ou seja, há um teto para pagamento e caso não aconteça o atingimento da meta contratual o valor repassado é menor, conforme avaliação feita por relatórios que são enviados a Secretaria Estadual de Saúde – SESAB.

                      Equipe gestora da Santa Casa participa da reunião da CIR.

“No ajuste contratual que fizemos foi inserida inclusive qualificação (ampliação) de cirurgias eletivas e ortopédicas, que por sinal este mês teve avanços de metas. Fizemos uma alternação,já que alguns serviços serão ofertados pela Policlínica Regional”, justificou Naia.

                           Naia faz as explanações acerca do contrato com SCMV.

Naia alega ainda que a Santa Casa precisa ter ajuste com os demais municípios da região que fazem uso da Santa Casa, pois a emergência aberta atende todo o Baixo Sul, e segundo a diretora o Sistema Único de Saúde é tripartite, ou seja, existem responsabilidades do município, do Estado e da União. A diretora ainda disse que durante a reunião a diretoria da Santa Casa falou do prejuízo no serviço de emergência e falou de um passivo que herdou de empréstimos ao longo dos anos passados.
A Diretora de Programas e Projetos da SESAB, Jucélia Nascimento também participou da reunião e explanou sua preocupação com a Santa Casa. “É um equipamento de todos nós. Precisamos de forma imediata cuidar disso. Esperamos sim que os demais municípios pensem em conjunto e com certeza teremos uma instituição forte a disposição do povo de nosso território”, justificou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *