Valença: As escuras, Moradores do Novo Horizonte reagem com indignação, medo e descontentamento


           É a iluminação das residências que iluminam as ruas do Moradas da Cidadania.

Mesmo pagando mensalmente a conhecida taxa de Iluminação Pública (TIP), os moradores do bairro do Novo Horizonte, em Valença, Baixo Sul do estado se encontram com um extenso número de postes que já não contam com suas lâmpadas a noite, ou até mesmo, condomínios residenciais de programas do Governo Federal sem iluminação causando medo e indignação nos moradores do bairro.
Informações dão conta que a Prefeitura arrecadou para contribuição de melhoria da iluminação pública desde o início do ano mais de R$1mi, já com os descontos feitos pela Coelba, concessionária de energia do Estado.
Segundo a Coelba, é realizada a cobrança da taxa nas faturas dos usuários e uma porcentagem é repassada ao município, responsável único pela manutenção da iluminação nos bairros e ruas da cidade.

O medo e insegurança assolam o bairro
Medo, descontentamento e indignação. Esses são os sentimentos dos moradores do bairro do Novo Horizonte, em especial do Conjunto Habitacional Moradas da Cidadania.
Há 12 anos, o pequeno comerciante, Francisco Oliveira, 53, se diz indignado com a cobrança da taxa que vem na conta de energia da Coelba. “A rua já é muito ruim. Tem vazamentos de água e esgoto a céu aberto. Aí vem a conta de luz e me cobra uma coisa que nunca existiu. Não me importo de pagar pela iluminação, desde que coloquem lâmpadas nos postes”, desabafou acrescentando que há cerca de 8 meses a lâmpada do poste que fica na frente do seu estabelecimento, está apagada e ninguém toma providência.
O diretor do departamento da Infraestrutura, Vacy Queiroz, não compareceu ao encontro da Federação das Associações de Bairro de Valença (Femanva), realizado para esclarecer dúvidas dos moradores sobre o ‘apagão dos bairros’. Para o presidente Romilson Muniz, o desacato e descompromisso estão claros. “Ao se ausentar de uma reunião com líderes comunitários a gestão deixa claro quais são as suas prioridades não é? Mas seguiremos lutando, lutando para que nossos bairros sejam respeitados e iluminados”, declarou o presidente.
O maior medo dos residentes que conversaram com Livre é a ação de criminosos que aproveitam a falta de iluminação nas ruas próximas a sua casa.
O poder público não emitiu parecer sobre qual prazo para solução da problemática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *