Jaques Wagner: Ex- governador assume o ‘Conselhão’ da Bahia

O ex-ministro e ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), tomou posse, na tarde desta segunda-feira (21), como coordenador executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia (Codes), estrutura vinculada à Secretaria de Relações Institucionais (Serin). Familiares, amigos e lideranças políticas locais, estaduais e federais prestigiaram a cerimônia, realizada no Salão de Atos da Governadoria, localizada … Leia Mais


Camamu: Ioná Queiroz a um passo da elegibilidade

Na manhã do último dia 08, foi realizado no Tribunal Regional Eleitoral o julgamento da candidata a prefeita Ioná Queiroz (PT), que obteve maioria dos votos em Camamu, porém não contabilizado por indeferimento da candidatura através da zona eleitoral responsável pelo município. Após fazer pedido de análise da sua situação, o relator Marcelo Junqueira Ayres votou … Leia Mais


Valença: Rui Costa em Valença dia 25 de novembro

O governador da Bahia Rui Costa estará em Valença na próxima sexta (25) em cumprimento de sua agenda para entregar a pavimentação da passagem urbana da BA 001 e assinatura de editais do Programa Bahia Produtora. Esta é a terceira vez que Rui vem a Valença em 2016. Antes, o governador esteve aqui em maio … Leia Mais


Taperoá: Rosival Lopes participa de Seminário para novos gestores em Brasília

O prefeito eleito Rosival Lopes participa do Seminário Novos Gestores promovido pela Confederação Nacional dos Municípios. Vários palestrantes, incluindo juristas falaram sobre a situação das contas públicas, e quais os princípios que deverão ser adotados pelos novos prefeitos. “As informações absorvidas são importantes para nossa futura gestão. As orientações sobre o processo de transição de governo … Leia Mais


Deputado Hildécio Meireles faz moção de congratulação pelos 167 anos de Valença

O deputado estadual Hildécio Meireles (PMDB) apresentou na Assembleia Legislativa da Bahia moção de congratulações ao município de Valença pela passagem do seu 167º aniversário de emancipação política, a ser comemorado no dia 10 de novembro. Conforme faz questão de frisar o parlamentar, além de Valença ser detentora de um valioso patrimônio arquitetônico e cultural, … Leia Mais


MP pede inelegibilidade do prefeito de Cairu


mpO Promotor de Justiça Eleitoral, Felipe Ranauro, também responsável pelas eleições nos municípios de Valença e Cairu, encaminhou esta semana pedido para que a Juíza Eleitoral Alzeni Conceição Barreto Alves, desconsidere a eleição no município arquipélago e considere o eleito inelegível, de acordo com a legislação em vigor.
O pedido formulado possui mais de 10 páginas e pede a inelegibilidade do gestor pelo uso indevido de programa social para a obtenção de sufrágio, e já se encontra protocolado na 31ª Zona Eleitoral no município de Valença.
A magistrada deverá, antes de de seu parecer, solicitar defesa por parte do acusado e dar seu veredicto.


Iona, obteve 8.750 votos Camamu e, para assumir, aguarda parecer do TRE


ionarEm Camamu a mais votada na eleição foi Ioná Queiroz (PT), que teve 8.570 votos. O segundo colocado foi Luizinho (PSB), que ficou com 6.551 votos, Joilson (PV) teve 1.640 votos.
Ioná Queiroz teve seu registro de candidatura indeferido pela justiça. Ele entrou com recurso e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deverá julgar nas próximas semanas, se foi deferido o registro, ela assume, se continuar indeferido ela deverá recorrer ao TSE.


Coluna Especial: Se não reagir, Rui jogará no colo da oposição eleição de 2018


Por Cíntia Kelly

Fim da eleição 2016 e algumas constatações. O PT saiu das urnas massacrado no Brasil e na Bahia. Embora bem avaliado, o governador Rui Costa precisa agir rapidamente se quiser chegar forte em 2018, quando tentará reeleição.
Vejamos. Em 2012, quando a Lava Jato e o escândalo do petrolão não existiam, 638 prefeitos foram eleitos no Brasil pelo PT, quatro anos depois esse número caiu para 254. Na terrinha de todos os santos, quatro anos atrás a sigla elegeu 92; agora, 40.
O Partido dos Trabalhadores perdeu mais da metade de alcaides em quatro anos. Não é pouca coisa. Algumas derrotas, inclusive, são emblemáticas. A primeira delas foi em Camaçari. Depois de 12 anos administrando o segundo maior PIB da Bahia, o PT cede lugar ao Democratas. Ainda no primeiro turno, o deputado federal e ex-prefeito da cidade por três vezes – sendo duas pelo PT -, Luiz Caetano foi derrotado por Antônio Elinaldo do DEM.
Exatos 28 dias depois, foi a vez de Vitória da Conquista tirar o PT do poder após 20 anos, dando vez ao PMDB com Herzem Gusmão, que já havia tentado a prefeitura da cidade por outras três vezes.
Tanto em Camaçari como em Conquista, o governador Rui Costa e o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner, como principais lideranças petistas, estiveram nas cidades apoiando seus candidatos.
Participaram de atos, de caminhadas, de carreatas, pediram voto, mostraram números positivos sobre a gestão petistas nas duas cidades, mas não ganharam a confiança do eleitor.  A possível perda de força de Wagner como cabo eleitoral ou se o desgaste ao PT se tornou, por ora, algo intransponível são duas questões a serem analisadas ao logo dos anos.
Mas, no momento, a letargia na articulação política do governo Rui Costa é para ser analisada agora, com urgência pelo chefe do Palácio de Ondina. Embora os partidos da base tenham conseguido eleger quase 300 prefeitos, esse dado não é, necessariamente, positivo para Rui. A base grita, reclama a atenção do governador. Deputados federais e estaduais e prefeitos miram a artilharia para cima do secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes.
A insatisfação é tamanha que a grita é escancarada. Nada de off [quando não se revela a fonte de informação].  Nada de subterfúgio.
Se quiser vencer o jogo em 2018 ou ao menos chegar forte até lá, Rui Costa só tem duas alternativas. Ou muda ou muda a articulação política. Caso contrário, estará jogando no colo da oposição os rumos do estado entre 2019 e 2022.

*Cíntia Kelly é repórter de política do Bocão News e comentarista da Itapoan FM.


Câmara do Rio de Janeiro rejeita proposta de salário vitalício para ex-vereadores


veto-stampA Câmara Municipal do Rio de Janeiro rejeitou nesta terça-feira (1º), por unanimidade, a proposta que daria salário vitalício para ex-vereadores. Os 40 representantes da Casa votaram contra o texto de autoria do vereador João Cabral (PMDB). A proposta determinava o benefício para vereadores que já são funcionários públicos municipais e que tenham três mandatos seguidos ou quatro intercalados. Eles ganhariam salário equivalente ao de um secretário da prefeitura, ou seja, R$ 15 mil líquidos por mês. Na justificativa, o vereador João Cabral disse que é “uma questão de justiça, de igualdade”. Em junho deste ano, antes da realização dos Jogos Olímpicos, o estado do Rio de Janeiro decretou estado de calamidade por conta de problemas financeiros com o objetivo receber uma transferência extraordinária de R$ 2,9 bilhões do governo federal.