Ituberá: Bebê morre em hospital por falta de assistência


Um bebê, aparentemente recém nascido, faleceu nesta terça (24), nas dependências do Hospital Antônio da Costa Pinto Dantas. Segundo informações, o filho de Maria Paloma deu entrada na unidade e ficou por muito tempo aguardando atendimento, a médica, identificada como Quisi, pediu ao pai da criança, após algumas horas de espera, no momento do atendimento que fizesse a compra de duas medicações que a unidade não possuía, identificadas como Buscopan e outra não recordada pela informante de Livre, a prima de Paloma, Bruna Freitas.
Sem dinheiro para compra de medicamentos, considerados básicos, mas que faltavam na unidade, o pai de Lucas Gabriel providenciou dinheiro e ao retornar com os itens solicitados a criança estava apenas sob os cuidados da mãe e já com a respiração em estado de falha. “Enfermeiras e médica ao chegarem para ajudar já foi tarde, meu primo faleceu”, disse Bruna ao jornalista Wellingthon Anunpciação.

A receita assinada sem carimbo e com notificação de uso hospitalar foi entregue a família, que não acredita que foi identificado o real problema na saúde de Lucas.

Precariedade de serviços públicos
Há alguns dias o advogado ituberaense Luis Marcos, apresentou na rede social facebook o muro de uma escola caído.
Outros moradores apresentam diversas queixas desde o atendimento no serviço de saúde, até a falta de medicamentos básicos. “Será que agora a administração irá intervir e potencializar o serviço de saúde. O hospital é municipal, cabe a prefeita (Iramar Costa – PMDB) apresentar providências”, comentou uma moradora que não quis se identificar.

Vídeo
Um vídeo foi postado na rede social facebook e esta sendo visto pelos internautas que apresentam revolta nos comentários. Alguns chegam a pedir justiça.Nas imagens é possível ver os pais de Lucas em estado de choque e desamparados. Ainda desnorteados não conseguiram dialogar com a reportagem.
Uma checagem também foi feita nos repasses do município, e é possível constatar que as receitas na saúde continuam sendo enviadas pelos governos estadual e federal desde o mês de janeiro. Livre não obteve êxito na tentativa telefônica de contato com a prefeita, sua assessoria. A diretoria do Hospital informou que uma nota estava sendo criada e que esta seria a forma de contato.
Confira:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *